Aliado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e apadrinhado pelo senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), Rodrigo Pacheco (DEM-MG) confirmou o favoritismo e se elegeu como o novo presidente do Senado já no primeiro turno da eleição para o Senado. Foram 57 votos para Pacheco contra 21 para Simone Tebet (MDB-MS). Não votaram os senadores Jaques Wagner (PT-BA), Jarbas Vasconcelos (MDB-PE) e Chico Rodrigues (DEM-RR). Os dois primeiros justificaram a ausência por motivos de saúde. O último está licenciado do mandato depois do episódio em que foi flagrado pela Polícia Federal com dinheiro na cueca.... 

Assim que o resultado foi proclamado, o presidente Jair Bolsonaro publicou a notícia no Twitter acompanhada de foto dele ao lado de Pacheco em que ambos aparecem sorridentes. Ele também destacou que a eleição foi "em cédula de papel". Sua principal concorrente acabou se tornando uma candidata independente após ser preterida pelo próprio partido. A eleição para a presidência da Câmara acontece hoje ainda, mais tarde. Pacheco construiu uma base de apoio sólida, de ao menos 10 partidos, tanto governistas quanto da oposição, como o PT e a Rede. Alcolumbre foi o principal articulador da campanha de Pacheco e investiu em manejar cargos importantes do Senado nas mãos dos principais apoiadores. 

Materia feita por: Luciana Amaral e Natália Lázzaro

Do UOL, em Brasília.


VC REPÓRTER

FLAGROU ALGO? ENVIE PARA NÓS(11) 96015-0706

Deixe seu Comentário